AGRICULTURA

Vegetais gigantes do Alasca

Especializado no desenvolvimento de vegetais gigantes, o jardineiro John Evans agora quer faturar com a venda de seus fertilizantes


bookmark_borderBRASIL AGRICULTURA date_range14 Mai 2018 - 14h20 personDINHEIRO RURAL

Nascido na Irlanda, John Evans sempre gostou de mexer com plantas. Atento às orientações de sua avó, o jovem jardineiro logo se profissionalizou e, aos oito anos, já cultivava uma flor conhecida como “Sweet William” em grande escala e as vendia aos supermercados da região de Dungarvan, onde nasceu. Com o passar do tempo, Evans começou a estudar novas técnicas de cultivo, se tornou perito no assunto e se mudou para o Alasca, onde enxergou uma excelente oportunidade de negócio.



*Até hoje no Guinness Book



O local não era o mais propício para o cultivo tradicional, mas foi lá que o jardineiro passou a desenvolver vegetais gigantes. Repolhos com mais de 40 quilos, cenouras com mais de oito quilos e brócolis acima de 15 quilos podiam ser facilmente encontrados em suas lavouras. Os vegetais eram tão excepcionais que Evans decidiu participar de competições e hoje detém nada menos que nove recordes mundiais (confira lista ao lado), além de 18 títulos norte-americanos e mais de 400 prêmios internacionais.



O segredo do sucesso ele não revela nem sob tortura. A fórmula de seu fertilizante, tampouco. Quando perguntado, sempre diz, modestamente, que seus alimentos crescem mais que os outros devido à maior incidência solar no Alasca, em torno de 21 horas diárias. Esta teoria, no entanto, não convence, uma vez que não há registro de vegetais gigantes entre seus vizinhos.





ao lado de sua esposa, Mary, o recordista exibe algumas de suas hortaliças gigantes, que lhe renderam fama mundial



“Não existe segredo na agricultura. Eu entendo de terra e de seus nutrientes”, conta o botânico. “Estudo muito sobre o desgaste e a fertilidade do solo. Posso ver suas necessidades só de olhar. É como a alimentação humana e o metabolismo, o processo é o mesmo, por isso eu me interesso tanto. Agora estou estudando também os minerais marinhos, inclusive os microorganismos que vêm do mar. Isso pode ajudar muito no desenvolvimento das plantas.” De qualquer maneira, a novidade é que agora ele está querendo faturar em cima de seus recordes, vendendo um chá orgânico que promete aumentar significativamente a produtividade agrícola, o Organic Bountea. O produto, vendido em seu site (www.bountea.com) por cerca de R$ 210,00 e que cobre até 2,5 hectares de terra, traz em sua fórmula secreta micróbios do Alasca, que, segundo Evans, são capazes de revigorar qualquer solo, por mais pobre que seja. De acordo com o vendedor, o fertilizante natural é muito poderoso, e só precisa ser aplicado no início do ciclo, uma vez por safra.



“Ganho muita sabedoria desenvolvendo estes produtos. É uma jornada sem fim em busca das novas informações que estão sempre surgindo. Você não pode parar, sempre tem algo novo aparecendo. A jardinagem mantém as pessoas humildes, esta é a verdadeira sabedoria”, completa Evans, de 59 anos, mais de 50 deles dedicados à agricultura.



Depois de conquistar o respeito dos agricultores em toda a América, o jardineiro está de volta à sua terra natal, de onde preside a Soil Health Solutions LLC, empresa que comercializa o Organic Bountea, ao lado de seu irmão, Roland, CEO da indústria, instalada no Colorado, Estados Unidos. John, no entanto, hoje se dedica exclusivamente ao desenvolvimento de novos produtos, enquanto Roland administra os negócios e comemora os bons resultados obtidos nos últimos anos com a venda dos fertilizantes 100% orgânicos em todo o mundo.



Após o sucesso com o Bountea tradicional, Evans já desenvolveu uma linha completa de produtos de jardinagem, chamada Bountea System, que traz itens como compostos especiais, sais naturais exclusivos e bioativadores, além de um kit de irrigação inovador, adaptado para vegetais gigantes. E pensar que tudo começou com o jardim da vovó…



Nicholas Vital