Economia

Governo autoriza liberação de R$ 8,5 milhões para aliança global de vacinas

Remaneja recurso a medicamentos Doação publicada nesta 4ª no DOU


bookmark_borderBRASIL ECONOMIA date_range18 Nov 2020 - 10h12 personBRASIL 247

O governo do presidente Jair Bolsonaro autorizou a destinação de R$ 8,5 milhões para a Gavi (Aliança Global para Vacinas e Imunização). O ato foi publicado na edição desta 4ª feira (18.nov.2020) do Diário Oficial da União por meio da Lei Nº 14.078, de 17 de novembro, decretada pelo Congresso Nacional e sancionada pelo presidente.



Os recursos foram realocados de uma doação antes destinada para a Unitaid (Agência Internacional de Compra de Medicamentos para Países em Desenvolvimento) e agora direcionada para a Aliança.



A Gavi se apresenta em seu site oficial como uma organização internacional co-líder da Covax Facility, iniciativa mundial que busca impulsionar o desenvolvimento, a aquisição conjunta e distribuição de eventuais vacinas contra covid-19.



A organização tem como seus principais parceiros a OMS (Organização Mundial da Saúde), a Unicerf, o Banco Mundial e a Fundação Bill & Melinda Gates.



 



 



DISCURSO AOS BRICS



Bolsonaro declarou na abertura da 12ª Cúpula do Brics dessa 3ª feira (17.nov) que houve “politização do vírus” e “1 pretenso monopólio do conhecimento” pela OMS na pandemia de covid-19. “Não foram os organismos internacionais que superaram desafios, mas, sim, a coordenação entre nossos países”, afirmou.



“[A OMS] necessita urgentemente, sim, de reformas”, declarou o presidente.



Bolsonaro afirmou que o Brasil está “em perfeita sintonia” com os outros países do Brics (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul) em relação à busca por uma vacina segura e eficaz contra covid-19. E disse que o Brasil busca e trabalha por 1 imunizante próprio.



Na reunião, o presidente da Rússia, Vladimir Putin, declarou que a Índia e a China podem começar a produzir a vacina russa Sputnik V e recomendou que os Brics criassem rapidamente 1 centro de pesquisa para estudar e desenvolver imunizantes. “É muito importante concentrar esforços para produzir em massa, em ampla circulação civil”, disse.